almanaquistas contatos cadastro parceiros

AGENDA DE SHOWS

EM BREVE NOS CINEMAS

imagens e videos


Livros - Lançamentos

Amor é um cão dos diabosAmor é um cão dos diabos

Charles Bukowski
Tradução de Pedro Gonzaga

"O melhor poeta da América." Jean-Paul Sartre

Como a prosa, cada poema de Charles Bukowski corta como aço de navalha. Ele expõe as vísceras da realidade, revolve o cotidiano, e, de onde nem se pensa que sairá um poema, brotam versos de pura genialidade. Algo como um saxofone gemendo na noite fria. As ruas molhadas refletindo o brilho feérico do neon. Fantasmas da madrugada buscam um gole da bebida mais forte que encontrarem. Bares fechando; a luz amarelada, o odor acre de suor misturado com álcool e muito tabaco. Poucos souberam, como Charles Bukowski, arrancar versos de quartos sórdidos de hotel, becos imundos, mulheres de todas as formas, bocas vermelhas demais, madrugadas longas, solitárias. É o bepop dos marginalizados, dos perdedores, pensadores de sarjeta, filósofos encharcados de uísque vagabundo.




PerjuroPerjuro

Em Perjuro, quinto livro da série Crônicas das Trevas Antigas, o jovem Torak terá que enfrentar o Devorador de Almas ao lado de Renn e seu pai adotivo, Fin-Kedinn. Desejando vingança pelo assassinato de seu primo, ele precisará encarar as armadilhas mortais do Mago Carvalho e entrar na Floresta Profunda, tentando sobreviver a todo mal que se manifeste diante dele.


HeliópolisHeliópolis

Nascido numa favela de São Paulo, Ludo vê sua vida passar por uma incrível transformação. Conduzido por forças além de seu controle, ainda garoto é tirado de Heliópolis e passa a desfrutar de uma boa vida às custas de seu pai adotivo e rico. Mas, anos depois, ele precisa voltar, porém do lado oposto da fronteira social. E é quando começa a repensar sua vida e todos os seus erros. Nutre um amor incestuoso e obsessivo por sua irmã adotiva, cujo marido é seu único amigo. E tem um apetite insaciável.Bem-vindo ao mundo de Heliópolis. Alternando momentos cômicos, violentos e comoventes, esta é uma história de ascensão social como nenhuma outra: a história de um homem que é movido pelo destino como uma peça de xadrez, num jogo que ameaça deixá-lo à beira da loucura e da brutalidade.
O autor estudou Línguas Modernas na Universidade de Oxford e completou ainda o curso de Escrita Criativa na Universidade de East Anglia. Ele também trabalhou com publicidade por quatro anos, até escrever seu primeiro livro.

Seu primeiro romance, The Amnesia Clinic, ganhou o prêmio literário Somerset Maugham em 2007, além de ter recebido indicações para os prêmios Costa First Novel Award, Commonwealth Writers Prize, Glen Dimplex Award e Dylan Thomas Prize. O livro trata da amizade de dois garotos equatorianos muito diferentes: Anti, um tímido garoto inglês que mora em Quito, e Fabián, que é tudo o que Anti queria ser - atlético, popular e bonito. Mas os pais de Fabián estão desaparecidos e Anti inventa uma história de que eles podem estar numa clínica de amnésia. É a partir daí que eles embarcam em uma viagem pelo Equador em busca de tal lugar. 

HELIÓPOLIS
Autor: James Scudamore
ISBN: 856163572X
Páginas: 336
R$ 45,00




O palácio de invernoO palácio de inverno

John Boyne
A Companhia das Letras traz o novo romance histórico de John Boyne, autor de O menino do pijama listrado e O garoto no convés.
O palácio de inverno é narrado por Geórgui Jachmenev, um garoto russo de origem simples que, aos dezesseis anos, impede um atentado contra o irmão do czar Nicolau II, que então o nomeia guarda-costas de seu filho Alexei. Ele então se vê catapultado para um mundo de luxo e intrigas palacianas, às vésperas da Revolução Bolchevique. Em 1981, agora cidadão britânico e funcionário aposentado da biblioteca do Museu Britânico, o octogenário Jachmenev, enquanto vela pela saúde da esposa Zoia, deixa a memória flutuar, recordando aleatoriamente os fatos de sua vida, grande parte deles ligados diretamente a eventos históricos que transformaram o século XX.

John Boyne nasceu na Irlanda, em 1971. É autor de sete romances e foi traduzido para mais de trinta línguas. O menino do pijama listrado (2006) conquistou dois Irish Book Awards, vendeu mais de 5 milhões de cópias ao redor do mundo e foi adaptado para o cinema em 2008.





Especiais