almanaquistas contatos cadastro parceiros

AGENDA DE SHOWS

EM BREVE NOS CINEMAS

Festival do Rio 2014: Party Girl


Por Raíssa Rossi
23/9/2014

 

Afinal, a vida imita a arte ou a arte imita a vida? No caso de "Party Girl", filme vencedor do prêmio Caméra Dor do Festival de Cannes 2014 e que abriu a mostra Un Certain Regard, é a segunda opção. Em conjunto com Claire Burger e Marie Amachoukeli, Samuel Theis roteirizou e dirigiu a história de sua própria mãe, Angélique Litzenburger, além de interpretar a si mesmo, assim como a sua família e as outras personagens, à exceção de Joseph Bour, que faz o papel do noivo de Angélique.


Em "Party Girl", Angélique é uma animada ex-dançarina famosa (quase como uma ex-Chacrete) de 60 anos que trabalha em um cabaré com clima burlesco perto da fronteira franco-alemã. Como "funcionária" mais velha do lugar e um número bastante limitado de clientes, ela acaba aceitando o pedido de casamento de Michel, o seu cliente mais regular. Mas será que ela vai conseguir se adaptar à nova vida?


Ao aceitar morar com Michel, Angélique tentou se acostumar com a situação de dona de casa, sem festas, sem trabalho e com certo controle do companheiro. Porém não demorou muito para começar a sentir falta de sua antiga vida e do convívio diário com suas amigas e colegas de trabalho, e a se cansar de não poder fazer sempre o que quer, a hora que quer, como fazia antes. Para não decepcionar os filhos, de quem se reaproximou depois que saiu do cabaré e anunciou seu casamento, e talvez a si própria por desperdiçar uma grande chance de mudar de vida, Angélique decide levar adiante o casamento, mesmo sabendo por dentro que não está feliz. Somente na véspera, ela se dá conta de que pode estar seguindo pelo caminho errado e finalmente consegue ser honesta consiga mesma e com seu filho Sam. Difícil é ser verdadeira com Michel, que a ama tanto.


Por se tratar de uma história real revivida no cinema pelas mesmas pessoas que efetivamente a vivenciaram num passado não muito distante e pelo fato de uma delas ser o co-diretor e roteirista do filme, "Party Girl" possui um enorme tom de realismo, com interpretações genuínas e um ótimo aprofundamento da trama familiar, que possui certas particularidades. Entretanto, o ponto forte da película reside na intensidade de sua estrela. Angélique é uma mulher vibrante que encanta por sua personalidade forte e por não se deixar enquadrar pelas regras da sociedade, escolhendo viver à margem desta. É protagonista do enredo do filme e de sua vida, assim como a "Gloria" de Sebastián Lelio. Com seus muitos anos bem vividos, ela deseja viver ainda mais à sua maneira e em plena liberdade, assim como a personagem de China Zorrilla no longa espanhol "Conversando com Mamãe". É a arte se inspirando e se unindo à vida real para ensinar e emocionar.

 

Festival do Rio 2014 - Mostra Expectativa
Party Girl (Idem)
França - 2014. 95 minutos.
Direção: Marie Amachoukeli, Claire Burger e Samuel Theis
Com: Angélique Litzenburger, Joseph Bour, Mario Theis, Samuel Theis, Séverine Litzenburger e Cynthia Litzenburger.