almanaquistas contatos cadastro parceiros

AGENDA DE SHOWS

EM BREVE NOS CINEMAS

Festival de Brasília premia Branco Sai, Preto Fica como melhor filme


Ao final da cerimônia, os diretores de longa-metragens fizeram a partilha do prêmio em seis porções iguais.

24/09/2014

por Filipe Pereira

Após a exibição do documentário Cabra Marcado Para Morrer de Eduardo Coutinho - o grande homenageado da noite - a cerimônia de premiação do 47º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro ocorreu. O evento foi repleto de emoção, tendo nos diretores Marcelo Pedroso de Brasil S/A e Adirley Queiroz de Branco Sai, Preto Fica seus maiores expoentes. Maeve Jenkings também foi largamente homenageada graças aos três curtas em que autou: Estátua, Loja de Répteis e Sem Coração, que além de ganhar alguns dos prêmios para curtas, ainda contou com a sua preparação de elenco.


Ao final da principal premiação, foi lido um manifesto, acordado entre os realizadores para que a partilha da premiação fosse realizada de forma igualitária, em seis partes iguais para cada um dos longa-metragens. A idéia do protesto seria rever o modo de premiar e exibir filmes em festivais, mas discutir o modo como se realizar cinema no Brasil, além do Modus Operandi do Festival de Brasília e de tantos outros.

Abaixo, as premiações da noite:

MOSTRA COMPETITIVA DE FILMES DE LONGA-METRAGEM
Melhor filme
Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós

Melhor filme pelo júri popular
Sem Pena, de Eugênio Puppo

Melhor direção
Marcelo Pedroso, por Brasil S/A

Melhor ator
Marquim do Tropa, por Branco Sai. Preto Fica

Melhor atriz
Dandara de Morais, por Ventos de Agosto

Melhor ator coadjuvante
Renato Novais Oliveira, por Ela Volta na Quinta

Melhor atriz coadjuvante
Élida Silpe, por Ela Volta na Quinta

Melhor roteiro
Marcelo Pedroso, por Brasil S/A

Melhor fotografia
Gabriel Mascaro, por Ventos de Agosto

Melhor direção de arte
Denise Vieira, por Branco Sai. Preto Fica

Melhor trilha sonora
Mateus Alves, por Brasil S/A

Melhor som
Pablo Lamar, por Brasil S/A


Melhor montagem
Daniel Bandeira, por Brasil S/A


MOSTRA COMPETITIVA DE FILMES DE CURTA-METRAGEM
Melhor filme
Sem Coração, de Nara Normande e Tião

Melhor filme pelo júri popular
Crônicas de uma Cidade Inventada, de Luísa Caetano

Melhor direção
Nara Normande e Tião, por Sem Coração

Melhor ator
Zé Dias, por Geru

Melhor atriz
Maeve Jinkings, por Estátua!

Melhor roteiro
Gabriela Amaral Almeida, por Estátua!

Melhor fotografia
Beto Martins, por Loja de Répteis

Melhor direção de arte
Juliano Dornelles, por Loja de Répteis

Melhor trilha sonora
Piero Bianchi, Vinícius Nunes e Mateus Alves , por Loja de Répteis

Melhor som
Fábio Baldo, por Geru

Melhor montagem
Nara Normande e Tião, por Sem Coração


TROFÉU CÂMARA LEGISLATIVA DO DF - MOSTRA BRASÍLIA
Melhor longa-metragem
Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós

Melhor curta-metragem
Crônicas de uma Cidade Inventada, de Luísa Caetano

Melhor direção
André Luiz Oliveira, por Zirig Dum Brasília - A Arte e o Sonho de Renato Matos

Melhor ator
Marquim do Tropa, por Branco Sai. Preto Fica

Melhor atriz
Klarah Lobato, por Querido Capricórnio

Melhor roteiro
Fáuston da Silva, por Ácido Acético

Melhor fotografia
Dani Azul, por Meio Fio

Melhor montagem
Guille Martins, por Branco Sai. Preto Fica

Melhor direção de arte
Luiz Fernando Skopein, por À Mão Armada

Melhor edição de som
Guille Martins e Camila Machado, por Branco Sai. Preto Fica

Melhor captação de som direto
Francisco Craesmeyer, por Branco Sai. Preto Fica

Melhor trilha sonora
Renato Matos, por Zirig Dum Brasília - A Arte e o Sonho de Renato
Matos

Melhor longa-metragem pelo júri popular
Zirig Dum Brasília - A Arte e o Sonho de Renato
Matos, de André Luiz Oliveira

Melhor curta-metragem pelo júri popular
Ácido Acético, de Fáuston da Silva


PRÊMIO MARCO ANTÔNIO GUIMARÃES
Zirig Dum Brasília - A Arte e o Sonho de Renato Matos, de André Luiz Oliveira


PRÊMIO CANAL BRASIL
Sem Coração, de Nara Normande e Tião


PRÊMIO EXIBIÇÃO TV BRASIL
Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós


PRÊMIO ABRACCINE
Melhor filme de curta-metragem
Estátua!, de Gabriela Amaral Almeida

Melhor filme de longa-metragem
Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós


PRÊMIO SARUÊ
Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós


PRÊMIO VAGALUME
Melhor filme de curta-metragem: Crônicas de uma Cidade Inventada, de Luísa Caetano
Melhor filme de longa-metragem: Ventos de Agosto, de Gabriel Mascaro


PRÊMIO CONTERRÂNEOS
Zirig Dum Brasília - A Arte e o Sonho de Renato Matos, de André Luiz Oliveira