almanaquistas contatos cadastro parceiros

AGENDA DE SHOWS

EM BREVE NOS CINEMAS

Festival de Gramado: Flávio Migliaccio diz que queria ser Oscarito


Ator foi aplaudido calorosamente durante a homenagem em noite de muito frio.

13/08/2014


por Roberto Cunha, em Gramado


A temperatura baixou de vez na charmosa cidade da Serra Gaúcha, nesta terça-feira, 12. E se lá fora os termômetros já batiam na casa dos cinco, seis graus, dentro do Palácio dos Festivais Flávio Migliaccio recebia o calor da plateia na entrega do Troféu Oscarito na 42ª edição do Festival de Gramado 2014.

QUERIA SER OSCARITO

O ator, que deu seus primeiros passos na sétima-arte com o filme O Grande Momento (1956), não escondeu a emoção, beijou a estatueta e divertiu o público com seu discurso sincero.

"Eu vou contar uma historinha aqui. Quando eu tinha 10 anos, fizeram uma pesquisa para ver o que cada aluno queria ser. Eu falei que eu queria ser o Oscarito. A professora me deu uma bronca. Eu não consegui ser o Oscarito, mas consegui ter a mesma profissão que ele. E agora, com 80 anos, eu estou aqui recebendo um prêmio com o mesmo nome dele. Não sei se é o destino, só sei que é uma coisa mágica. Obrigado a todos vocês", disse, seguido dos aplausos.


O FRIO, O RISO E O NÃO QUERO

Conhecido por papéis e personagens memoráveis ao longo da carreira, no cinema, TV e teatro, Flávio Migliaccio esteve na coletiva de imprensa, realizada horas antes, e misturando sinceridade, timidez e espontaneidade mostrou o porquê desse sucesso. Foi assim, por exemplo, ao brincar com o frio, dizendo que deveriam ter avisado para trazer um cobertor nas costas, e também ao dizer que não merecia o prêmio. 


"Não queria vir. Eu achei que não merecia. O ator está fazendo a obrigação dele. Mas eu agradeço, é claro, disse ele, para mais adiante completar com outra pérola: "Não gosto do endeusamento do artista, mas vocês podem tirar fotos", disse, levando o pessoal da sala ao riso.


Ainda na coletiva, o seu Chalita do seriado Tapas & Beijos, da Rede Globo, falou de como se sente bem em fazer os outros rirem. "O ser humano procura a felicidade. E em um país como esse, que está todo estraçalhado, fazer as pessoas terem um pouco menos de sofrimento, é uma dádiva. Me sinto muito feliz fazendo isso tudo", concluiu.

OS PRÊMIOS

Criado em 1990, o Troféu Oscarito é oferecido para personalidades do cinema brasileiro, como Grande Otelo, ganhador do primeiro, e Glória Pires, a homenageada de 2013. Para o também ator Nelson Xavier (foto), que está na competição com o filme A Despedida e subiu ao palco para entregar o troféu ao colega, o prêmio é mais do que justo.


O Festival de Gramado 2014 começou na última sexta-feira, 8, e segue até o próximo sábado, 16, quando serão conhecidos os vencedores do cobiçado Kikito, entre outros prêmios. Antes disso, o ator franco-argentino Jean Pierre Noher receberá o Kikito de Cristal na quinta-feira, 14, e o diretor Walter Carvalho, ganhará o Troféu Eduardo Abelin na sexta, 15, véspera da premiação. Rodrigo Santoro também foi premiado, no último sábado, com o Troféu Cidade de Gramado.


O Almanaque Virtual viajou a convite do Festival de Gramado 2014.
Fotos: Press Photo