almanaquistas contatos cadastro parceiros

AGENDA DE SHOWS

EM BREVE NOS CINEMAS

Arcade Fire - Loolalooza 2014


Por Tony Tramell

07/06/2014

 

O palco Skol não poderia ter um encerramento mais grandioso nessa edição do Lollapalooza. O Arcade Fire, com sua turnê Reflektor, chegou bem diferente da banda que se apresentou aqui em 2005. O show provou o amadurecimento dessa banda de indie-rock. Ao contrário daquela época em que apenas um punhado de gatos pingados conhecia as suas canções, hoje eles são donos de hits conhecidos pelo grande público e com capacidade de animar até quem não os conhece.

A apresentação paulistana começou com Reflektor, seguida por Flashbulb Eyes. Entretanto, foi com canções dos álbuns anteriores que o público embalou. A excelente Rebellion (Lies) e The Suburbs, anunciada pelo vocalista Win Butler, em português, como uma música sobre saudade, somaram-se a Neighborhood #3 (Power Out) no repertório que agradou os fãs.

Se outros artistas, como Ellie Goulding que atacou de camisa canarinho para homenagear a seleção brasileira e o baterista do Muse que tinha usado a bandeira do brasil, fizeram suas homenagens. Coube ao Arcade Fire valorizar a nossa música. Trechos Nine Out of Ten, de Caetano Veloso e O Morro Não Tem Vez, de Tom Jobim, entratram em cena e este último cantado em português por Régine Chassagne. Aliás, Win Butler e Régine, um casal fora dos palcos também, possui uma simbiose que impulsiona o Arcade Fire.

Fenomenal e dançante podem descrever bem a performance da banda no encerramento do festival. Depois de uma abertura com imagens e sons, o Arcade Fire colocou o público para dançar com um clima único no evento. Donos de um som que mistura percurssão, eletrônica e instrumentação com influências da escola do glam rock e pós punk, o resultado foi fluidez. De longe, o melhor show dos dois dias.

Eles ainda atacaram com Normal Person, Here Comes the Night Time (com direito  a chuva de papel picado) e finalizaram com Wake Up, faixa do disco de estreia, Funeral (2004). Quem saiu dali correndo para o palco interlagos para ver se conseguia pegar o New Order, desfrutou do bis do grupo que encerrou com a clássica Love Will Tear Us Apart.