almanaquistas contatos cadastro parceiros

AGENDA DE SHOWS

EM BREVE NOS CINEMAS

Show: Alan Parsons Project


Texto por Filippo Pitanga

Fotos por Louise Duarte

30/03/2014


ltimo show da turn no Brasil, nesta noite de Domingo, 30 de maro de 2014, 20h, na casa de eventos do Vivo Rio com quase todos os setores lotados (cerca de 1.500 pessoas), pontualmente ingleses, o rock progressivo de Alan Parsons Project, tanto o grupo quanto o prprio, foram aclamadssimos pelo pblico. Talvez apenas o conforto erudito da escolha do Vivo Rio em acomodar a plateia sentada por todo o espaoso ambiente que tenha funcionado como uma faca de dois gumes para a inteno dos artistas: ao mesmo tempo em que deu visibilidade perfeita para todos, que ainda eram servidos de comes e bebes requintados em suas mesas, cortou um pouquinho s o barato da performance que frequentemente pedia para as pessoas levantarem para danar em algumas msicas - o que, enfim, mais ao final, pde ser atendido, realizando o desejo de acumular os fs fervorosos na boca do palco, at dispensando a segurana e dando palhinhas imprevistas.


Origens refletem na performance:


Diferente de certa impenetrabilidade que o rock progressivo adquiriu com o passar dos anos por sua poro complexa de inspirao clssica, somada aos shows apoteticos dos precursores do gnero Pink Floyd que erigiam muralhas entre pblico e apresentao, o Alan Parsons Project segue a corrente inversa. Parson inclusive j trabalhou em lbuns do Pink Floyd e dos Beatles como engenheiro de som, nos famosos estdios Abbey Road, no que acabou formando sua prpria banda com o colega Eric Woolfson em 1975, com o lbum Tales of Mystery and Imagination (inspirado nas obras de Edgar Allan Poe).


E isto reflete nas performances, pois, apesar de comear com a instrumental I Robot, com Parson em seu teclado na parte detrs do palco, ainda que muito bem iluminado (realando individualmente todos os artistas em luzes separadas), logo Alan passa para indefectvel guitarra escarlate e introduz seu vocalista principal, P.J. Olsson, empolgando e dando at uma mozinha nos sintetizadores em Damned If I Do, com vocais etreos e deformao eletrnica que completa a sonoplastia nica do grupo - uma aura a assombrar as lembranas at depois do show! J Dont Answer Me traz inspirao espanhola assemelhando as batidas a castanholas, com o prprio lder nos vocais, com maravilhoso solo de saxofone, acompanhados pelas palmas efusivas.


Mas nesta banda receptiva em via recproca, todos os membros assumem os vocais, e o saxofonista Todd Cooper tambm lidera o canto em Breakdown que se transforma num pout-pourri em The Raven (do famoso poema O Corvo de Edgar Allan Poe) na suavidade dos teclados difanos, ora suaves e mgicos, e ora agressivos, numa combusto retr-moderna (It spoke that one word, that I shall hear forever more: Nevermore).


Sucessos:

Muitssimo antecipada, emTimeas notas passam a ser fluidas como o tempo correndo num rio, quase palpveis, usando do coro de backvocals como ondas numa correnteza eterna de camadas e ecos... Depois, P.J. convida todos a danar, pois o show era sentado, em I wouldn want to be like you, cantada pelo guitarrista e com solo de contrabaixo ressoando sozinho em tom grave e sexy. E, aps The Turn of a Friendly Card, em Snake Eyes, at o vocalista danou no palco, usando de novo a ginga em fuso de coro agudo e grave. Eis que a excelente profuso multicolorida de luzes abriu para a cltica instrumental The Ace of Swords.


Novas composies e palhinhas alheias:


No s de clssicos veio munido o grupo, pois tocaram a indita Fragile (que lembra um pouco a homnima cano de Sting), despindo o lado eletrnica do grupo para o vocalista sentar e tocar violo de modo mais confessional. - e anunciaram mais inditas no www.alanparsonsmusic.com e no itunes. E se conectaram com a emoo geral, aps What goes Up e Primetime, quando o guitarrista Alastair Greene inseriu o riff de Layla de Eric Clapton, e o tecladista Manny Focarazzo (na atual formao, no lugar do co-fundador Eric Woolfson) tocou Garota de Ipanema!


Encerramento Arrasador:


Alan apresentou a banda e seu vocalista o apresentou formalmente para virem a frente pedir que a plateia em peso levantasse das cadeiras e invadisse a boca do palco, tudo para a pica Eye in the Sky, fitando um trmino precoce que os fez regressar s luzes sob forte chuva de aplausos para Old and Wise, com show de sax, e a energtica Games People Play, incendiando a plateia!


Formao Atual:


ALAN PARSONS: guitarra, vocal, teclado, percusso

P.J. OLSSON: Vocal

MANNY FOCARAZZO: teclado

DANNY THOMPSON: bateria

GUY EREZ: Baixo

ALASTAIR GREENE: Guitarra
TODD COOPER: Vocal e Saxofone


SETLIST:


1. I Robot
2. Damned If I Do
3. Don Answer Me
4. Breakdown / The Raven
5. Time
6. I Wouldn Want to Be Like You
7. The Turn of a Friendly Card (Part One)
8. Snake Eyes
9. The Ace of Swords
10. Nothing Left to Lose
11. The Turn of a Friendly Card (Part Two)
12. Fragile
13. What Goes Up...
14. Prime Time
15. Sirius
16. Eye in the Sky


BIS:


17. Old and Wise
18. Games People Play