almanaquistas contatos cadastro parceiros

AGENDA DE SHOWS

EM BREVE NOS CINEMAS

Coletiva com Freddie Highmore da série Bates Motel


Por Raphaela Ximenes
21/06/2013

Freddie Highmore era aquele menininho inglês fofo que visitou a "Fantástica Fábrica de Chocolate" da versão de Tim Burton, em 2005. Agora, oito anos depois, Highmore retorna com outro personagem clássico, Norman Bates de "Psicose". O famoso filme de Hitchcock ganhou um tipo de prequel, na forma da série Bates Motel, que estreia no Brasil, no Universal Channel, no dia 04 de julho. A série tem como foco a adolescência de Norman Bates e o seu relacionamento doentio com sua mãe, Norma Bates, interpretada pela excelente atriz, Vera Farmiga.

Essa semana, Highmore esteve no Rio e conversou com a imprensa sobre Bates Motel. O mais nítido no ator, que atualmente tem 21 anos, era seu entusiasmo em trabalhar na série e interpretar um papel tão emblemático. O que pode estar nítido também para quem assiste ao show, sua atuação é bem próxima ao impecável, lembrando em muito a de Anthony Perkins, no filme que originou toda a trama. Para ele trabalhar em uma série ligada a um filme tão icônico é indescritível, porém seu maior desafio são os limites que o personagem possa ter, porque todo mundo sabe exatamente o que acontece a Norman Bates e sua mãe. Não resta muito espaço para ele improvisar, o que pode ser mais desafiador ao mesmo tempo que interessante. Apesar de muitos o compararem a Perkins, principalmente por causa de alguns trejeitos, Highmore afirmou que se baseou muito mais no livro, do que no que foi realizado no filme. Mas não nega que Perkins foi e é uma grande influência. Ele reconhece o peso do personagem, mas entende que ele é um enorme presente para um ator que está começando sua carreira. Apesar de sabermos exatamente o que acontece com Norman Bates, o ator torce por alguma surpresa, ou, quem sabe uma desdobramento mais aterrorizante. Para ele o personagem não é completamente bom ou mal, e sim o resultado da influência de sua mãe durante anos de abusos.

Sobre sua mãe, ou melhor, sobre Vera Farmiga, sobram elogios por parte de Highmore. Ele a todo momento afirmava que deve a ela tudo o que conseguiu realizar durante essa primeira temporada da série, que a atriz sempre tinha muito a acrescentar a todos, com ideias e sugestões. Além da emoção de ver o cenário pronto, com réplicas perfeitas dos famosos motel e a casa de Norman.

Sobre a série acontecer na atualidade, Highmore afirmou que isso aconteceu para que haja uma maior identificação do público com a trama e os personagens, principalmente o público mais jovem. A forma como a atriz lida com sua personagem é uma grande inspiração para ele. Ninguém defende Norma mais do que Vera. A dinâmica entre os dois é perfeita, exatamente por eles conseguirem atuar em conjunto, entendo seus personagens e deixando claro para o público que tudo aquilo é honesto. O ator também acredita que o fato dos criadores da série conseguirem manter o clima do filme original, adicionando um pouco mais de suspense, ajuda muito. Ninguém sabe realmente que rumo aqueles personagens vão seguir e, principalmente, em que momento Norman Bates vai se tornar o assassino de "Psicose".

Sobre sua vida pessoal, principalmente sobre ser um ator mirim que cresceu com seus personagens, Highmore diz não se sentir incomodado, já que atuar não é sua vida. Sua vida é com sua família, na Inglaterra, onde ele frequentou escola normalmente e agora termina faculdade de Literatura em Cambridge. Atuar sempre foi sua profissão, a qual ele adora. Talvez se morasse em Hollywood seria diferente, mas por morar em outro país, consegue ter uma vida mais "normal", longe dos holofotes.

Muito maduro para sua idade, o que explica seu talento e dedicação, Highmore diz que não teme ficar marcado pelo personagem de Normam Bates, mas, que se isso acontecer, será um enorme prazer, ter seu nome relacionado a um personagem tão icônico. O que significaria que ele conseguiu representar de forma correta e muito bem.