almanaquistas contatos cadastro parceiros

AGENDA DE SHOWS

EM BREVE NOS CINEMAS

Pan Am retrata a era de ouro da aviação


Por Tony Tramell

15/03/2012 

Pan Am é uma série sobre um mundo que não existe mais. Uma época repleta de esperança e otimismo. Onde ser da extinta companhia aérea era um sonho e um passaporte para um mundo glamouroso e internacional.

Ambientada nos anos 60, como o sucesso da HBO Mad Men, Pan Am é ambientada antes do psicodelismo, do assassinato de JFK, das manifestações feministas e outros momentos importantes daquela década. A fórmula busca resgatar a nostalgia, o glamour, o romance, o ar retro e misturar com doses de drama nos seus episódios semanais.

O episódio piloto captura perfeitamente através de ótima direção de arte, figurinos e fotografia a época da era de ouro da aviação. A trama se preocupa mais em apresentar os personagens do que contar uma história de fato, isso irá acontecer mais nos episódios seguintes e gradativamente. Como no terceiro, onde através do desejo de Maggie (Christina Ricci) de conhecer o presidente Kennedy enquanto estão em Berlim - e ele fará um discurso que vai ser tornar histórico - conhecemos mais sobre o passado de Maggie e de outra aeromoça, enquanto tramas paralelas se desenvolvem mais.

A série conta com o piloto, Dean (Mike Vogel), o co-piloto (Michael Mosley) e algumas aeromoças, como a rebelde e boêmia Maggie (Ricci), uma noiva em fuga (Margot Robbie), uma francesa com direito a todo estereótipo que se espera (Karine Vanasse) e uma aprendiz de espiã (KellY Garner). Esses são alguns dos personagens em torno de quem giram as tramas.

Como foi dito acima, é um tempo que não existe mais, o público mais jovem deve achar a realidade dos anos 60 como algo difícil de acreditar. Um trabalho que dava a elas glamour e um mundo de sonhos, já que viajar era algo fantástico e não banal como é hoje. Além do comportamento que hoje soa degradante para as mulheres, mas era aceito em 63 (ano em que a série começa), como procurar sorrir sempre, servir bebidas e deixar os passageiros felizes e a bizarra regra de que se uma das aeromoças se casasse, deixaria a empresa. Outros tempos, realmente.

Pan Am parece decolar sem saber muito bem o rumo que segue ou sequer seu destino pelo que foi visto nos primeiros episódios. Ainda assim, vale a pena ser conferida pelo seus outros atributos e pela direção de veteranos talentosos como Thomas Schlamme (The West Wing). A série começou nos EUA em setembro do ano passado e sofreu alguns percalços, sendo composta por 14 episódios na primeira temporada.

O canal Sony começa a exibir a série excepcionalmente no dia 15, às 21h, e passa a exibir regularmente toda sexta, a partir do dia 23, às 21, com episódio legendado. As reprises dubladas serão exibidas Os replays dublados serão exibidos aos sábados às 15h, e aos domingos, às 21h. Uma estratégia que é um desrespeito ao assinante fiel com episódios dublados do que legendados.  Uma vez que quem manteve os canais por assinatura, como no caso da Sony (desde fevereiro de 1996 no Brasil), foram os assinantes que sempre gostaram do som original e em ter uma opção além da TV aberta.