almanaquistas contatos cadastro parceiros

AGENDA DE SHOWS

EM BREVE NOS CINEMAS

A Pele Que Habito


Por Tony Tramell

24/09/2011

Pedro Almodvar mostra que continua o enfant terrible do cinema espanhol. A Pele Que Habito (La Piel Que Habito, Espanha, 2011) espetacular. A volta de Antonio Banderas a trabalhar com o cineasta que o consagrou marcada por uma obra inesquecvel e polmica do diretor, envolvendo cincia, vingana e terror psicolgico. O filme aproxima Almodvar do horror que esteve presente no comeo de sua carreira, como em O Matador.

o tipo de filme que quanto menos se sabe, melhor. A trama gira em torno do Dr. Robert Ledgard (Antonio Banderas), um cirurgio plstico de sucesso que criou uma pele artificial, uma forma de lidar com o trauma da morte de sua ex-mulher, Gal. Sua clnica em sua propriedade afastada da cidade, onde mantm Vera (Elena Anaya), uma paciente numa espcie de crcere. Vera usa constantemente uma segunda pele como se fizesse parte de seu prprio corpo e passa boa parte do tempo fazendo yoga enclausurada em seu quarto, sem contato externo, com exceo de Robert e suas necessidades so atendidas por uma sinistra governanta (Marisa Paredes). At o dia em que um homem vestido de Tigre (Roberto lamo) aparece e "invade" a casa.

O longo primeiro ato comea a fazer mais sentido assim que os flashbacks so introduzidos no segundo e o diretor comea a encaixar as peas de seu quebra-cabeas macabro. O resultado psicologicamente devastador conduzido como poucos e nas mos de algum que no seja talentoso como o diretor resultaria em um desastre total. Apesar de uma ou outra derrapada na trama, estamos diante de um filme soberbo.

A mistura dos gneros de melodrama, fico cientfica, vingana e thriller psicolgico, alm do flerte com o horror, criam uma combusto singular. A trama foi adaptada do romance Tarntula, de Thierry Jonquet, e a opo por fazer A Pele Que Habito uma prova de um diretor ousado que nunca deixa de se arriscar, ainda mais ao tentar fazer um filme como esse. Uma tentativa de fuga do universo Almodovariano tradicional, mas gerando uma verso alternativa que funciona muito bem.

Marcas de Pedro Almodvar, como personagens femininas fortes (apesar do protagonista masculino), sexo, amor, traio se juntam a personagens violentos e amorais como Dr. Robert e o Tigre. Banderas tem sua melhor interpretao em anos e Roberto lamo, como o tigre, faz um contraponto a seu personagem. O brasileiro Zeca, o tigre, tem um fato curioso, fala um portunhol macarrnico, oriundo de sua vida na Bahia.

O tema radical na carreira de Almodvar vai evocar semelhanas com a obra de David Cronenberg, e conta com influncias de Frankenstein, o francs Os Olhos Sem Rosto e Um Corpo Que Cai. Longe de ser sanguinolento, Almodvar mergulha de cabea no horror psicolgico. Lamentavelmente o diretor busca em seu final o caminho mais politicamente correto, o que soa estranho a sua filmografia, ainda assim o filme arrebatador.


PANORAMA DO CINEMA MUNDIAL - Festival do Cinema 2011

A PELE QUE HABITO

Espanha, 2011. 117 minutos

Direo: Pedro Almodvar

Com: Antonio Banderas, Elena Anaya, Jan Cornet, Marisa Paredes